A obrigatoriedade da verificação do peso dos contentores antes do embarque reduziu os riscos para estivadores, navios e carga, concluiu a consultora Xeneta.

Após mais de um ano desde a implementação da alteração à Convenção SOLAS, as opiniões sobre a sua eficácia diferem. Enquanto os operadores logísticos e as companhias de transporte marítimo de mercadorias não tiveram problemas na aplicação, os importadores sustentam que os seus custos de transporte aumentaram devido a terem de efectuar a pesagem antes de irem para o porto.

Quanto aos terminais de contentores, esse processo aumentou o volume de trabalho e para os operadores de infra-estruturas de pesagem o volume de contentores a pesar aumentou, pelo que as suas operações se transformaram.

Não pesar acarreta riscos

As consequências de não declarar o peso de um contentor podem ser muito negativas, levando a lesões ou mesmo à morte de trabalhadores em acidentes, à instabilidade dos navios, a dificuldades no processo de empilhamento de contentores, à perda de contentores, ao armazenamento incorrecto de cargas ou danos aos navios, carga ou equipamento de movimentação.

Esta situação também pode levar a um excesso de peso dos contentores transportados por via rodoviária, reclamações por acidentes em terminais e atrasos que afectam os contentores devidamente declarados, bem como o consumo excessivo de combustível e o aumento das emissões. Pode ainda, segundo os especialistas, levar a recusas de última hora quando o peso a bordo excede o declarado e afectar os limites de capacidade do navio ou do calado do porto.

 

 

Os comentários estão encerrados.