A XPO Logistics pretende voltar às aquisições após um hiato de dois anos. Para tal, a companhia dispõe de oito mil milhões de dólares (6,7 mil milhões de euros).

XPOLOGISTICSPORTUGAL

América do Norte e Europa Ocidental são as geografias favoritas para a companhia norte-americana. “Estamos à procura de companhias na mesma linha de negócios em que estamos e que tenham a maioria dos seus negócios, pelo menos, na América do Norte e Europa Ocidental”, referiu ao “The Loadstar” o CEO da XPO Logistics, Bradley Jacobs.

“Há dois tipos de negócios que procuramos: os que custam centenas de milhões; e aqueles que custam milhares de milhões. No caso dos primeiros, um acordo pode acontecer muito rapidamente, dentro de alguns meses, ao passo que os que custam alguns milhares de milhões levam muito tempo”, explicou Jacobs.

Além disso, a companhia tem planos para investir em dez novos centros de distribuição de “última milha” na América do Norte, aumentando o seu total para 55. Há ainda a previsão de serem criados mais 30 em 2018. Estas últimas instalações serão de menor porte (até cerca de 18 500 metros quadrados) e localizadas perto de áreas populacionais de alta densidade.

O poder de fogo financeiro da XPO Logistic para apoiar esses potenciais investimentos e aquisições segue-se a um aumento de capital de 665,5 milhões de dólares (564,9 milhões de euros) em acções ordinárias.

Além disso, o desempenho financeiro da companhia também está a melhorar. “O nosso forte início do ano acelerou no segundo trimestre, com resultados recordes de receita, lucro líquido e EBITDA ajustado”, indicou o CEO.

A XPO Logistics registou, no segundo trimestre de 2017, receitas de 3,76 mil milhões de dólares (3,19 mil milhões de euros), contra 3,6 mil milhões (3,12 mil milhões de euros) no período homólogo do ano passado. O EBITDA ajustado foi de 370,8 milhões de dólares (314,73 milhões de euros), face aos 354,9 milhões (301,2 milhões de euros) no ano passado.

Com base no desempenho, a XPO Logistics “reviu em alta as previsões a dois anos”, de acordo com Bradley Jacobs. “Os nossos novos objectivos são de um EBITDA ajustado de pelo menos 1,365 mil milhões de dólares (1,159 mil milhões de euros) em 2017 e 1,6 mil milhões (1,36 mil milhões de euros) em 2018”, adiantou o executivo.

 

 

Comments are closed.