Com a compra da Tertir, os turcos do Yildirim Group entram directos para a liderança no sector portuário nacional e dão mais um passo em direcção ao top 10 mundial.
TCL

A venda da Tertir e da Mota-Engil Logística garante à Mota-Engil um encaixe de 275 milhões de euros. A venda da posição do Novo Banco na Tertir (36,875% do capital) foi feito nas mesmas condições mas o montante envolvido não foi revelado.

O negócio inclui, desde logo, as concessões portuárias em Portugal – e são muitas, em todos os portos menos em Sines –, em Espanha (o Ferrol Container Terminal, detido a 100% pela TCL) e no Peru (terminal de contentores do porto de Paita).

Vendida é também a Transitex, agente transitário com uma crescente exposição internacional e que, além do mais, desempenha um importante papel instrumental de alimentação de cargas aos terminais portuários do grupo.

Entre os negócios da Tertir / Mota-Engil Logística avulta também a Takargo, até há pouco a única operadora privada nacional de transporte ferroviário de mercadorias.

No comunicado em que que anuncia a transacção, a Mota-Engil refere, sem especificar, que antes da concretização da transacção (prevista para o final do ano corrente) haverá algumas “operações de reorganização societária”. O que pode significar reforço de posições ou desinvestimento em algumas áreas.

 

 

Comments are closed.