Reconstruir o terminal da Liscont, em Lisboa, e expandir o terminal de contentores de Leixões são os planos da Yilport Holding para os portos nacionais nos próximos três anos. Investimento? 240 milhões de euros.

A maior fatia, cerca de 200 milhões de euros, será destinada ao terminal da capital. O comunicado emitida pela holding turca, e que cita o presidente e CEO do grupo Yildirim, fala mesmo em “reconstruir” o terminal de contentores de Alcântara. A infra-estrutura será modernizada e os equipamentos de movimentação de cargas renovados, com a instalação de novos pórticos de cais (serão dois, de acordo com a informação avançada na apresentação dos resultados de 2017) e  a instalação e electrificação de pórticos de cais sobre pneus.

Igualmente prevista está a realização de dragagens para que o terminal passe a dispor de fundos de -14,5 metros.

Recorde-se que a renegociação da concessão da Liscont está ainda a dar os primeiros passos.

A Norte, em Leixões, a renegociação da concessão já foi fechada e a Yilport está a dar início aos trabalhos de expansão do terminal de contentores Sul. O investimento anunciado pela holding é de 42 milhões de euros. No final, a capacidade de movimentação de contentores subirá para o milhão de TEU/ano.

Aquisições previstas

Os investimentos em Portugal integram o plano de crescimento orgânico da holding turca, com o objectivo de chegar a 2025 no top 10 mundial dos operadores de terminais de contentores (fechou 2017 no 13.º lugar do ranking).

No mesmo sentido, estão previstos investimentos nos outros terminais do grupo, nomeadamente na Turquia, na Suécia e no Equador.

Mas não chega. Robert Yuksel Yildirim anuncia, no comunicado citado, que decorrem negociações para a aquisição de terminais de pequena e média dimensão na Europa, na América do Norte e na América do Norte. A ideia é afirmar a Yilport Holding como um operador global de terminais de contentores de nicho já em 2020.

 

Os comentários estão encerrados.