O grupo Yilport movimentou 6,1 milhões de TEU em todo o mundo  no passado. Um resultado que, diz a holding turca, representa um crescimento de 8%.

Leixões é o maior terminal da Yilport

Os dados são avançados na última edição da Connection, a revista da Yilport Holding. O grupo turco fechou o ano de 2019 com 6,1 milhões de TEU, 10,5 milhões de toneladas de carga geral, perto de 317 mil CEU em ro-ro e 3,4 milhões de metros cúbicos de granéis líquidos movimentados nos seus 22 terminais.

A publicação não avança os dados relativos a cada um dos terminais, mas é certo que, descontado o caso particular do Freeport de Malta (onde a Yilport detém 50% e que movimentou 2,7 milhões de TEU), a Península Ibérica manteve-se em 2019 como o principal mercado regional da holding, com uma produção total de 1,22 milhões de TEU em nove terminais.

Na mesma linha, o Terminal de Contentores de Leixões terá mantido, muito provavelmente, a sua posição de maior terminal da Yilport. Os dados de 2019 ainda não foram divulgados, mas no final de Novembro acumulava um crescimento homólogo de 4,5% e mais de 636 mil TEU movimentados.

Na Turquia, onde detém cinco terminais, a Yilport movimentou 1,12 milhões de TEU. Nos países nórdicos (Suécia e Noruega, com três terminais), 495 mil TEU e na América Latina (Peru, Guatemala e Equador, num total de três terminais) 300 mil.

A holding de Robert Yildirim mantém o objectivo de chegar ao top 10 mundial dos operadores de terminais de contentores. Para já o 12.º, mas em 2019 logrou aumentou o seu portefólio com a concessão do terminal de Taranto, em Itália.

Para 2020, o homem forte do grupo já o disse, a aposta centra-se na ampliação e modernização dos terminais existentes. Exemplos disso são os investimentos de milhões de euros em curso nos terminais da Liscont, em Lisboa, e de Leixões. Será um retomar de fôlego para avançar para novas aquisições, de preferência em parceria com investidores institucionais.

 

Comments are closed.