Aicep Global Parques e administração portuária de Sines tentam atrair investimentos para a “porta atlântica da Europa”.

No espaço de dois dias, mais duas comitivas empresariais visitaram a Zona industrial e Logística e o porto de Sines.

Ontem, foram cerca de duas dezenas de dirigentes empresariais que integram a comitiva tunisina à primeira reunião do Conselho de Negócios Tunísia-Portugal, em Lisboa. Trata-se de um conjunto diversificado de gestores e empreendedores, das áreas da construção civil, agro-alimentar, têxiul, farmacêutica e energia.

Hoje, foi a vez de uma delegação da embaixada dos EUA em Lisboa, chefiada pelo Conselheiro Comercial Dillon Banerjee. Esta visita segue-se a um workshop realizado no final do ano passado, pela Aicep Global Parques, em Newark, então com a colaboração da Autoridade Portuária de New York/New Jersey.

Em ambos os casos, os visitantes tomaram contacto com o Porto de Sines, com a ZIL e a com a ZAL.

A ZIL de Sines dispõe de 2 000 hectares de áreas vocacionadas para actividades industriais, logísticas e de serviços, tendo já instaladas, entre outras, a Galp, a EDP, a Sonae Indústria e a Cimpor.

A ZAL de Sines integra o programa Portugal Logístico e é composta por uma área de 30 hectares dentro do perímetro portuário, e uma outra, com 215 hectares, no perímetro da ZIL.

O Porto de Sines foi um dos pioneiros na Janela Única Portuário (JUP) e agora está já a desenvolver uma experiência-piloto para a criação da Janela Única Logística, conforme anunciou a presidente da APS, Lídia Sequeira, no congresso da Aplog.

Os comentários estão encerrados.